Vacina contra febre amarela deve ser antecipada em caso de viagem

Quem for viajar para fora do País ou para locais com circulação ativa do vírus causador da febre amarela deve ficar atento para o período recomendado de vacinação. Para aqueles que pretendem se deslocar no feriado de Carnaval esse já é considerado um período crítico, já que é necessário um intervalo de dez dias entre a vacinação e o período de exposição em regiões com risco de contaminação.

O farmacêutico e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Olindo Assis Martins Filho alerta para a importância de tomar a vacina com antecedência da chegada a área de risco. “Pelo fato de o vírus ser vivo, requer um período entre a aplicação da vacina, o contato desse vírus com células do organismo do indivíduo para que essas sejam ativadas e que venham a produzir anticorpos. Esse período, entre a vacina e o aparecimento de anticorpos, leva de sete a dez dias. Alguns indivíduos com sete dias já têm anticorpos, outros não.”

Quem for para locais de mata ou de circulação ativa do vírus – como São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia – deve se vacinar. Mas o farmacêutico lembra que o Brasil também possui uma ampla área de risco de contaminação por febre amarela.

“Não devemos esquecer que existem várias regiões do Brasil onde a febre amarela é endêmica e o vírus circula naquela região. Que seria toda a região Norte a região Centro-Oeste inteira, a região Sudeste – incluindo o estado de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo e mesmo os estados da região Sul onde nós temos risco de circulação do vírus da febre amarela”.

A vacina só recomendada para crianças acima de 9 meses de idade. Pessoas com sistema imunológico comprometido ou idosos acima de 60 anos precisam ser avaliados por profissionais da saúde antes de tomarem a dose.

Fonte: Comunicação do CFF