Propostas para fortalecer assistência farmacêutica, ciências e Tecnologia

A valorização da produção nacional em pesquisa e tecnologia, para diminuir a dependência da indústria farmoquímica internacional, está entre as propostas apresentadas durante o Encontro Regional Preparatório para o 8º Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Assistência Farmacêutica (8º SNCTAF), realizado em Curitiba (PR) nos dias 30 e 31 de agosto.

A atividade, promovida pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), integra as ações rumo à 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª + 8). O encontro aconteceu em parceria com a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) e é organizado pela Escola Nacional dos Farmacêuticos com apoio do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Com a participação de estudantes, farmacêuticos, pesquisadores, acadêmicos, gestores, usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e conselheiros de saúde, o evento enriqueceu os debates sobre a importância e os desafios para implementação da Política Nacional da Assistência Farmacêutica, assim como o impacto que isso causa na vida de todos os brasileiros.

“O envolvimento de diversos atores faz com que a discussão seja muito mais rica, em cima de um tema tão complexo e desafiador da saúde pública brasileira”, afirma o secretário municipal de saúde de Cambará (PR), Diego Domingues de Oliveira.

“Esse é um evento de suma importância, é a oportunidade única de estarmos discutindo não apenas com academia, mas com diferentes profissionais e com a sociedade organizada. Essas diferentes ações estão no cerne da relação da Fiocruz com a sociedade brasileira”, completa o vice presidente de produção e inovação da Fiocruz, Marco Aurelio Krieger.

Propostas
Entre as propostas apresentadas pelos grupos de trabalho no encontro regional de Curitiba está a necessidade de fomentar a política de valorização dos laboratórios oficiais e instituições de pesquisa, com vistas à produção de medicamentos e demais tecnologias de interesse do SUS.

Os participantes também discutiram o incentivo da educação continuada e a pesquisa científica, no âmbito do SUS, articulando academia e serviços, para qualificar os trabalhadores da saúde buscando o cuidado integral.

Além de Curitiba, a atividade já aconteceu em Manaus (AM) e será realizada em Salvador (BA), nos dias 13 e 14 de setembro, Recife (PE), em 20 e 21/09 e Belo Horizonte (MG), nos dias 27 e 28/09.

Para o conselheiro nacional de saúde Moyses Toniolo, que representa o segmento de usuários do SUS no Conselho, é fundamental o envolvimento de todos no debate. “É preciso termos consciência que a assistência farmacêutica, ciência e tecnologia impactam na vida de todos. Vamos construir dentro do SUS uma resposta para a ampliação e o fortalecimento dessas políticas, que se traduzem em bens e serviços para a população”, afirma o conselheiro ao convidar a população para o debate.

O 8º SNCTAF acontecerá em dezembro, na sede da Fiocruz, no Rio de Janeiro, e se articula aos eixos: Saúde das Pessoas com Deficiência; e Assistência Farmacêutica e Ciência e Tecnologia. Neste sentido, o relatório dos Encontros Regionais realizados agora servirá de subsídio ao 8º SNCTAF, que, em seguida, levará suas contribuições para a 16ª Conferência, marcada para 2019.

Skip to content