CRF-SC é contra cursos de graduação de Farmácia na modalidade EaD

alerta_ead

Em defesa da saúde da população e da educação farmacêutica com qualidade, o Conselho Regional de Farmácia de Santa Catarina se posiciona contra os cursos de graduação em Farmácia na modalidade de Educação a Distância (EaD). Considerando que até mesmo em alguns cursos presenciais, já demonstramos nossa preocupação com a qualidade do ensino oferecida, na modalidade a distância o alerta é ainda maior. Questionamo-nos se esse método contribuirá para a elevação do nível do ensino, ou se o que predomina é o discurso da ampliação do acesso, da facilidade e da flexibilidade, em detrimento da qualidade do curso oferecido.

Salientamos que o processo de formação de um profissional farmacêutico deve envolver conteúdos teóricos, analíticos e prática assistida, sob a supervisão do docente farmacêutico. Nesse sentido, consideramos que o desenvolvimento das habilidades e competências técnicas para a formação farmacêutica necessita de uma intensa carga horária prática, assim acreditamos que a metodologia a distância pode oferecer resultados aquém das necessidades exigidas para lidar com a saúde da população.

O curso de graduação em Farmácia exige uma estrutura física ampla, com instalações e laboratórios adequados. Acreditamos que na modalidade a distância, tal quesito físico não seja prioridade dos investimentos, os quais parecem estar mais centrados nas tecnologias envolvidas na própria transmissão e operacionalização do curso.

Além disso, após avaliação dos cursos presenciais existentes no estado de Santa Catarina, em termos numéricos e regionais, consideramos que os mesmos são capazes de atender à demanda pela formação de profissionais farmacêuticos. Portanto, o argumento de que a modalidade a distância ampliaria o acesso e atenderia a uma demanda reprimida, não se justifica.

Lembramos que tais preocupações já foram divulgadas por outros Conselhos Profissionais da área da Saúde, com os quais nos solidarizamos e unimos esforços para chamar atenção da sociedade sobre o tema. Somos, sim, favoráveis à multiplicação do conhecimento, desde que com a plena manutenção da qualidade, caso contrário só ampliaremos os problemas da Educação em nosso país.

A Comissão Assessora de Educação do CRF-SC está aberta ao diálogo com estudantes, gestores e demais interessados no tema.

Skip to content