CFF vai capacitar farmacêuticos em medicamentos biológicos e biossimilares

A partir do dia 1º de abril, segunda-feira, o Conselho Federal de Farmácia (CFF), em parceria com a Roche, oferecerá aos 220 mil farmacêuticos brasileiros a oportunidade de se capacitar gratuitamente em assuntos técnicos relacionados aos medicamentos biológicos e biossimilares, destinados ao tratamento de doenças como o câncer e o diabetes. Uma plataforma custeada pela empresa, hospedada no site do CFF, disponibilizará vídeo-aulas relacionadas a diferentes temas, tais como intercambialidade e o posicionamento dos órgãos reguladores em relação a essa classe de medicamentos. Além da capacitação on-line, a parceria garantirá também cursos presenciais, realizados conjuntamente com os conselhos regionais de Farmácia.

Fruto de um trabalho conjunto que durou um ano, a parceria é exclusivamente técnica, não envolvendo nenhum tipo de divulgação comercial. Nenhuma menção a produtos será veiculada. “O objetivo da parceria é auxiliar tecnicamente os farmacêuticos na dispensação dos medicamentos, visando especificamente a segurança do paciente e o melhor resultado nos tratamentos”, comenta Marília Gusmão, gerente de Políticas Públicas da Roche.

“Para que o caráter exclusivamente técnico fosse preservado, todos os professores e todo o conteúdo disponibilizado na plataforma custeada pela Roche será previamente validado pelo CFF”, comenta o presidente do conselho, Walter da Silva Jorge João. Ele destaca que, ao se inscrever, o farmacêutico preencherá um formulário com todos os seus dados, incluindo o número de registro profissional. “Mas esses dados serão de domínio exclusivo do CFF, considerando que a plataforma estará hospedada no site do conselho”, complementa.

A gerente de Farmacovigilância da Roche, farmacêutica Carla Vokoyama, destaca que os medicamentos biológicos e biossimilares são fabricados e comercializados por várias indústrias. O conteúdo disponibilizado na plataforma será aplicável a todas as marcas e não apenas aos medicamentos da empresa parceira no projeto. “Nossa preocupação principal é a segurança do paciente”, explica ela, destacando que, em face à falta de um posicionamento objetivo do órgão regulador, é importante que o farmacêutico esteja bem orientado e possa exercer com tranquilidade o seu papel de responsável pela dispensação dos medicamentos nas farmácias hospitalares, pelo acompanhamento farmacoterapêutico e pela farmacovigilância.

Os temas das primeiras vídeo-aulas a serem disponibilizadas na plataforma serão “Produtos Biológicos”, “Como os Produtos Biológicos são Fabricados” e “Manejo dos Produtos Biológicos”. O conteúdo será repassado pelo farmacêutico Álvaro Machado. “São vídeo-aulas de 10 minutos cada, o que facilitará a participação dos farmacêuticos. Ao final do curso, que terá, inicialmente, dez módulos, o profissional que tiver cumprido 75% da carga horária receberá um certificado de conclusão, chancelado pelo CFF”, explica Marília Gusmão.  Segundo a gerente, a intenção é que a plataforma fique disponível permanentemente, e que outros temas sejam incorporados, desde que atendam aos interesses da maioria.

Fonte: Comunicação do CFF

Skip to content